Os 12 Princípios da Química Verde

Guiados pela preocupação com a qualidade de vida e com o meio ambiente envolvendo a prática da química, a filosofia da Química Verde está baseada em doze princípios (PRADO, 2003; LENARDÃO et al,. 2003; JUNIOR; LACERDA;SILVA, 2005; MACHADO, 2005)

1) Prevenção: É melhor prevenir a formação de subprodutos do que tratar ou limpar resíduos de processos químicos após sua geração;


2) Economia de átomos: Devem-se procurar desenvolver metodologias sintéticas de modo a incorporar o maior número possível de átomos dos reagentes nos produtos finais desejado;


3) Síntese Segura: Devem-se desenvolver metodologias sintéticas que utilizem e gerem substâncias o menos tóxicas possíveis à vida humana e ao ambiente;

4) Desenvolvimento de Produtos Seguros: Deve-se buscar o desenvolvimento de produtos mais eficazes, mas que realizem a função desejada e ao mesmo tempo não sejam tóxicos.

5) Diminuição de Solventes e auxiliares: Evitar a utilização de substâncias auxiliares como: solventes, agentes de purificação, secante e etc., quando inevitáveis a sua utilização estas substâncias devem ser inócuas ou facilmente reutilizadas;


6) Eficiência Energética: é necessário o desenvolvimento de processos que ocorram á temperatura e pressão ambiente, para diminuir a energia gasta durante um processo químico que representa um impacto econômico e ambiental;

7) Uso de Fontes de Matéria-Prima renováveis: A matéria-prima deve ser proveniente de fontes inesgotáveis (renováveis);


8) Evitar a formação de Derivados: Devem ser evitados os processos que envolvem intermediários com grupos bloqueadores, proteção/desproteção ou qualquer modificação temporária da molécula por processos físicos e/ou químicos, porque essas etapas requerem reagentes adicionais e podem gerar resíduos.

9) Catálise: O uso de catalisadores (tão seletivos quanto possível) deve ser escolhido em substituição aos reagentes estequiométricos para aumentar a velocidade e o rendimento dos processos químicos;

10) Produtos Degradáveis: os produtos químicos deverão ser projetados de tal modo que, ao final de sua função, se fragmentem em produtos de degradação inócua de produtos tóxicos e não persistam no ambiente.

11) Análise em tempo real para Prevenção de Poluição: Deverão ser viabilizados métodos analíticos para o monitoramento e controle em tempo real, dentro do processo químico, para controlar a formação de compostos tóxicos antes mesmo da sua geração;

12) Química Segura para a Prevenção de Acidentes: A escolha das substâncias, bem como a sua utilização em um processo químico deve minimizar o potencial de acidentes químicos.

0 comentários:

Postar um comentário

Notícias on-line relacionado à Quimica Verde

Loading...